domingo, 23 de novembro de 2008

A cara do domingo a noite...


Galera da SantOnofre em 2006!


Acabei postando alguma coisa ontem e hoje, quebrando a palavra que não iria postar no final de semana. Mas foi por força das circustâncias. Apesar de achar que essa postagem e anterior sejam de pouquíssimo interesse coletivo, não resisti! rsrs

Hoje tivemos um breve encontro dos fundadores da SantOnofre, na própria casa que alugamos há mais de 3 anos. Foi quase que um Deja Vou... Deu saudade!

Mas um dos novos membros da referida república é um excelente músico e nos garantiu algumas músicas. Em uma das músicas mais conhecida e que tem uma carga forte, sendo sempre usada em chapas de DCE ou CA, fiquei bem pensativo. Mas dessa vez essa música me tocou por um motivo menos nobre. Identifiquei essa música com o Domingo a noite. Como o domingo a noite é tristonho e como é insuportável escutar a música do Fantástico!

Mas eis que chega Roda Viva e carrega o final de semana pra lá!

Roda Viva

Chico Buarque

Tem dias que a gente se sente
Como quem partiu ou morreu
A gente estancou de repente
Ou foi o mundo então que cresceu...

A gente quer ter voz ativa
No nosso destino mandar
Mas eis que chega a roda viva
E carrega o destino prá lá ...

Roda mundo, roda gigante
Roda moinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração...

A gente vai contra a corrente
Até não poder resistir
Na volta do barco é que sente
O quanto deixou de cumprir
Faz tempo que a gente cultiva
A mais linda roseira que há
Mas eis que chega a roda viva
E carrega a roseira prá lá...

Roda mundo, roda gigante
Roda moinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração...

A roda da saia mulata
Não quer mais rodar não senhor
Não posso fazer serenata
A roda de samba acabou...

A gente toma a iniciativa
Viola na rua a cantar
Mas eis que chega a roda viva
E carrega a viola prá lá...

Roda mundo, roda gigante
Roda moinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração...

O samba, a viola, a roseira
Que um dia a fogueira queimou
Foi tudo ilusão passageira
Que a brisa primeira levou...

No peito a saudade cativa
Faz força pro tempo parar
Mas eis que chega a roda viva
E carrega a saudade prá lá ...

Roda mundo, roda gigante
Roda moinho, roda pião
O tempo rodou num instante
Nas voltas do meu coração

2 comentários:

Silvia disse...

nostalgia mesmo
violao, cervejinha e churrasco

chato foi só os bambis abrindo diferença no brasileiro

Silvia disse...

odeio mosquitinhos da santo onofre
coça coça coça